Pages Menu
FacebookTwitterInstagramInstagram
Categories Menu

OrganiCidade

Publicado por em 1 abr, 2015 em Da terra, Destaques | 0 comentários

OrganiCidade

Há duas semanas, fui conhecer a Feira do Produtor Orgânico do Parque da Água Branca, em São Paulo. A feira é organizada pela AAO, Associação de Agricultura Orgânica, e está em atividade desde 1991, quando ainda eram apenas 12 produtores. Hoje, a feira conta com 45 barracas de produtos orgânicos. São diversos produtos: hortaliças, legumes, frutas, cereais, grãos e castanhas, além dos laticínios, geleias e afins.

 

Café à sombra das árvores

Café à sombra das árvores

Após cruzar com galos cantando, alguns cavalos trotando e muitas pessoas fazendo exercícios físicos, eis que chego à tão esperada feira. O clima do lugar é tão bom quanto o do parque todo. Algumas das pessoas que faziam exercícios estavam ali agora, tomando seu café da manhã no quiosque em frente à entrada da feira. Com variadas opções orgânicas, elas começavam seu dia. Entre sucos, tortas, pães, ovos mexidos, salgados e algumas abelhas (viva a biodiversidade!), também brindei aquele domingo de sol.

Crédito: Ana Laura Mosquera

Fila do café da manhã

Foi ali que conheci a Juventina Freire de Lima, em sua primeira visita à feira. Ela e o filho estavam comprando os primeiros legumes para a papinha da neta Sofia, de apenas cinco meses. Até aquele dia, a pequena só havia tomado leite materno e sucos de frutas orgânicas. E a família quer manter com esse hábito!

Juventina acredita que muitas doenças existentes nos dias de hoje são fruto do consumo de agrotóxicos na alimentação humana. Antigamente, quando esse uso não era tão excessivo, as pessoas eram mais resistentes. Ela entende que a produção de orgânicos ainda é escassa, além de o preço não ser tão acessível à maioria da população. “Seria de muita importância que até o governo pegasse e desse um incentivo para as pessoas que quisessem plantar os produtos orgânicos, para que todo mundo tenha acesso, que é o ideal”.

Juventina fala que achou muito interessante a feira, mas sabe a importância de que esse movimento cresça ainda mais. “Estou gostando muito da feira, mas gostaria que houvesse muito mais feiras espalhadas para todos os bairros de São Paulo, que nós viemos lá da Zona Norte”.

Hoje, são 17 feiras orgânicas espalhadas pela capital, segundo dados do Idec. No site do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, há um mapa dessas feiras por todo o Brasil.

Crédito: Ana Laura Mosquera

Entrada para a feira

O que fazer pelo Brasil

Como delata logo de início o documentário “O veneno está na mesa“, o Brasil hoje é campeão mundial no consumo de agrotóxicos. E é nesse contexto que surge a agricultura orgânica, em reação a esse impressionante dado. A demanda por alimentos orgânicos tem aumentado na mesma medida em que cresce também o consumo de agrotóxicos no país.

Algumas dessas informações foram me passadas pelo produtor orgânico Fernando Ataliba, que tem uma barraca na feira da Água Branca. No Sítio Catavento, local onde ele produz os alimentos ali vendidos, a técnica de agricultura orgânica utilizada é ensinada pela professora Ana Primavesi, referência em agroecologia no Brasil.

Para Fernando, não há motivo para não se fazer agricultura orgânica e nem para não se consumir alimentos orgânicos. Inclusive, na feira, eles estão acompanhando os preços do mercado convencional. “Muitos itens orgânicos estão mais baratos do que no mercado convencional. São produtos baratos, de altíssima qualidade, que tem muito mais capacidade nutritiva. Então é um alimento com maior capacidade alimentar do que o convencional”, declara Fernando.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Segundo ele, a dificuldade maior tem sido trabalhar com os super e hipermercados, porque o poder econômico desses estabelecimentos é descomunal. “Eles têm praticamente um oligopólio no setor e, na outra ponta, ele representa um oligopsônio, quer dizer, são poucas empresas que detêm toda a compra. Então eles acabam ditando normas que são muito nefastas para o conjunto da sociedade brasileira, embora eles digam o contrário. Eles dizem que conseguem preços muito bons, mas na verdade o que eles conseguem é a redução drástica da qualidade dos alimentos. É isso que eles têm feito pelo Brasil”.

Serviço

A Feira do Produtor Orgânico acontece das 7h às 12h, de terça, sábado e domingo no Parque da Água Branca, em São Paulo. Às terças-feiras, acontece também a edição noturna, que vai das 16h30 às 20h30.

Deixe uma resposta