Pages Menu
FacebookTwitterInstagramInstagram
Categories Menu

A nova gastronomia

Publicado por em 1 abr, 2015 em Em ação | 1 comentário

A nova gastronomia

“Em 2006, o chef de cozinha David Hertz deixou sua posição em um restaurante paulista para ensinar jovens da periferia a cozinhar em sua própria cozinha e sem cobrar nada por isso. O que começou como um sonho arriscado de um indivíduo acabou se transformando no que a Gastromotiva é hoje.” Essas são as palavras de Bruno Tavares, coordenador de comunicação da Gastromotiva.

A Gastromotiva é uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público), cuja missão é viabilizar a gastronomia como ferramenta de inclusão social. Através de programas gratuitos, o projeto capacita jovens e adultos em situação de vulnerabilidade social para o mercado gastronômico e o desenvolvimento de comunidades.

“O curso da Gastromotiva ensina mais do que técnicas de cozinha. Preocupamos-nos em agregar valores como o compromisso sustentável, cidadania, integridade, transparência e a importância do trabalho em equipe a esses aprendizes”, diz David Hertz, idealizador do projeto.

Para Georges Schnyder, membro do Conselho da Gastromotiva, a Gastronomia é a ferramenta mais rápida para a transformação da vida de uma pessoa. O projeto atua diretamente com pessoas em situação de risco. “São jovens que vêm de famílias desfavorecidas, em locais onde tem crime, tráfico. Ele [o projeto] pega um jovem em situação de potencial risco, dá um treinamento de 260 horas, que é rápido, porém ao mesmo tempo é muito denso, aonde você traz auto estima, conhecimentos básicos e dá uma profissão para ele. Imediatamente esse jovem entra em um mundo de um restaurante, uma cozinha, um mundo de disciplina, de ordem, de comprometimento, integração.”

Atualmente, o projeto realiza atividades nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador. De acordo com Bruno Tavares, a equipe tem planos de expandir o trabalho para pelo menos mais uma cidade em 2015. “Estamos trabalhando em nosso plano de replicabilidade e estudando as possibilidades”, adianta ele.

Sustentabilidade e inclusão

A Gastromotiva trabalha os três eixos da sustentabilidade, no seu conteúdo programático. O primeiro é o eixo econômico, uma vez que cria alternativas de geração de renda para os alunos. O segundo pilar é o social, que se desenvolve por meio das aulas do módulo de Cidadania, onde é abordado o papel do individuo e do coletivo na sociedade. Por fim, o eixo ambiental, que se refere ao módulo de Ecogastronomia, no qual as alunos aprendem a minimizar o impacto da atividade gastronômica no meio ambiente, por meio da reciclagem, do aproveitamento integral de alimentos, entre outros fatores.

“Nossa intenção é a de transformar vida e, para isso, a pessoa precisa amar o que faz. Além dos assuntos referentes ao curso de cozinha, nós procuramos proporcionar novos horizontes para nossos alunos. Um dos pilares do curso é trabalhar a parte de cidadania onde os alunos entendem a sua presença na sua sociedade e que fazem parte de um todo”, conta Bruno Tavares.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Gastromotiva também conta com o apoio financeiro de uma rede de restaurantes, desde a formação dos alunos até o término do curso, quando os alunos formados são encaminhados para trabalhar nesses estabelecimentos.

Um novo sentido

O paulistano Rogério José dos Santos é cozinheiro e professor na Gastromotiva e também foi aluno do projeto, em 2008. Após se formar, Rogério trabalhou em diversos lugares, inclusive na Apae de São Paulo, onde criou um projeto de Gastronomia para pessoas com deficiência e formou 120 alunos.

Após esses anos de experiência, Rogério foi convidado por David Hertz para lecionar no projeto, seu sonho desde que se formou no projeto. Hoje, Rogério leciona as disciplinas de Panificação e Ecogastronomia, além de ser líder do Convívio Gastromotiva do Slow Food, onde trabalha diretamente com a importância da valorização do produto e do produtor local, dos alimentos sazonais, do cuidado com o lixo, através de palestras de conscientização.

“Eu acho que a inclusão é você dar um novo sentido na vida de alguma pessoa.” (Rogério Santos)

A iniciativa que se tornou referência mundial de inclusão social gera também humanização. “O que a Gastromotiva sempre me ensinou foi a questão de ajudar o próximo. A gente tem que passar pela vida de alguém e marcar alguma coisa na vida dela. É isso que me motiva mais ainda trabalhar lá. E fazer com amor, né?”, fala Rogério.

Saiba mais!

Programa Gastronomia nos Presídios

Site da Gastromotiva

1 comentário

  1. Grande exemplo de Responsabilidade Social.

Trackbacks/Pingbacks

  1. Alimento, cultura e educação | Pistache Gourmet - […] ano passado, o Instituto Atá e a Gastromotiva, criaram o programa Gastronomia nos presídios. Até agora, são duas turmas…

Deixe uma resposta