Pages Menu
FacebookTwitterInstagramInstagram
Categories Menu

Corrente do bem

Publicado por em 14 mar, 2015 em BATE-PAPO | 1 comentário

Corrente do bem

Para estrear a sessão Bate-papo, conversei via e-mail com a culinarista* artesanal Tereza Telles, de Botucatu (SP). Na cidade, Tereza já trabalhou no restaurante da Pousada Somé na Estância Demétria, referência em agricultura biodinâmica. Hoje atende em residências e restaurantes, casas sociais, dando assessoria em Reeducação Alimentar Natural e principalmente Vegetariana,em empresas, eventos e congressos. Também ministra curso de Alimentação Natural e Orgânica na Escola do Meio Ambiente e a domicílio.

Créditos: Tereza Telles e equipe

Créditos: Tereza Telles e equipe

 

Como começou seu trabalho com a culinária e por que a opção pela alimentação artesanal?

Trabalho há quase 36 anos com alimentação natural, integral e orgânica, sou vegetariana desde esse tempo também. Quando se estuda a alimentação e se leva em consideração fatores sutis como energia vital, nos cortes, cozimentos, combinação de alimentos, cores, importância da postura pessoal e familiar diante da refeição, com certeza não se consumirá alimentos vindos de uma indústria. Na minha vida pessoal, assim como na profissional, primo pela qualidade não só do alimento, mas também de quem manuseia esse alimento.

O carinho com que se faz o que se consome é de extrema importância para o resultado final do produto.

Nos últimos anos, fala-se muito sobre a sustentabilidade e a necessidade de se pensar esse conceito nas mais diversas áreas. Como você vê a importância dessa abordagem na Gastronomia?

A sustentabilidade esta presente na nossa vida toda. Sou culinarista da Escola do Meio Ambiente e lá a maioria dos alimentos do lanche está sendo produzida no local. Na produção dos meus alimentos, procuro parcerias com produtores orgânicos e adquiro os produtos que estão “fora de padrão” ou excedentes. Assim, o produtor não perde no campo e eu consigo matéria-prima mais em conta, fazendo com que o consumidor consiga comprar mais barato e todos ganham com a parceria. Além desse trabalho com os produtores, tenho também uma parceria com uma entidade (Casa Diart’s) que trabalha com prevenção e recuperação de dependentes de álcool e drogas. Esses rapazes recebem capacitação profissional e trabalhos que os ajudam a voltar para a vida social com mais segurança.

 

Sobre a utilização dos orgânicos, qual sua preocupação com o uso desse tipo de alimento e como você vê o futuro desses alimentos?

A utilização de orgânicos já é uma escolha antiga. Desde o inicio dos meus estudos sobre alimentação, optei pela compra de melhores produtos por ter como prioridade a prevenção de doenças e de envelhecimentos precoces. A população esta muito doente! Os jovens estão cada vez mais adoecendo com problemas de pessoas mais idosas. Consomem-se produtos artificiais como se fosse alimento, não temos mais tempo! Todos precisam tomar uma atitude pessoal de se fortalecer e cortar esse círculo vicioso das doenças e mortes prematuras. Orgânico não é só produto sem agrotóxico, mas sim aquele que, além de ser produzido naturalmente, também respeita o agricultor e sua família, dando condições decentes de vida. Também uma boa atitude é consumir de produtores locais, pois além do transporte encarecer o produto, o uso de combustível também causa um dano ao ambiente. Cuidado com o meio ambiente também é uma postura orgânica. É uma corrente!

Este slideshow necessita de JavaScript.

E a agricultura biodinâmica, qual a relevância desse tipo de cultivo para a saúde do meio ambiente e do homem?

Aqui em Botucatu está forte a presença da biodinâmica. Não é tão popular quanto o cultivo orgânico, mas já está começando a se popularizar. Sendo um cultivo que não só não contém agrotóxico, mas que também é enriquecido com compostos que levam ao alimento forças vitais de todos os reinos (animal, vegetal, mineral), acabam tendo no resultado final valores energéticos agregados ao nutriente mais potencializado e uma durabilidade e desenvolvimento bem maior que os convencionais. 

 

Que recado daria aos novos chefs e a toda população que se alimenta sobre a importância de repensar a gastronomia como parte fundamental do nosso dia-a-dia?

Aos novos chefs eu digo: a culinária é o grande caminho para a conquista da saúde! Com prazer e arte podemos melhorar a humanidade. Então, não pensemos somente na aparência e sabor, pensemos nos ingredientes e temperos usados, para que nossa missão seja completa. Tenham estudo, criatividade e personalidade, e seu lugar estará garantido na história da gastronomia!

*Culinarista é o profissional que elabora receitas dentro de uma linha específica. No caso de Tereza: natural, integral e orgânica, com redução de ingredientes e gordura e facilitação da digestão. De acordo com ela, na culinária artesanal “existe um estudo e um objetivo a ser atingido. Eu crio e recrio todas as minhas receitas até chegar no ponto desejado, ou seja: sabor, beleza, prazer e função terapêutica.”

 

1 comentário

  1. Parabéns! Mais do bem do que a Tereza Telles, impossível! Alimento pro corpo e pra alma!

Deixe uma resposta