Pages Menu
FacebookTwitterInstagramInstagram
Categories Menu

Feijoada (branca?)

Publicado por em 19 nov, 2012 em Por aí | 0 comentários

Nada melhor que começar a ler esse “post” com o clássico do Chico tocando de fundo, assim como eu estou ouvindo enquanto escrevo.

O “vamos botar água no feijão” virou bordão nos lares brasileiros. Resta só saber que feijão: carioca, preto, branco, de corda, mulatinho, verde, fradinho, rajado? Não importa qual seja, vale saber que o brasileiro come em média 12 quilos do produto por ano. De acordo com o Chef César Santos, atração muito esperada e cuja entrada foi bastante aplaudida, há alguns anos esse valor era igual a 18 e começou a diminuir com o aumento das mulheres do mercado de trabalho (e longe do fogão). Por isso também, o preço teria subido tanto nos últimos tempos.

Enfim… importante lembrar que a escolha pela cor (e pelo sabor) do prato presente no dia-a-dia do trabalhador brasileiro varia de região para região. Enquanto nós, em São Paulo, estamos acostumados com o carioca nosso de cada dia, no Sul do país e no Rio de Janeiro a pedida máxima diária é o feijão preto, aquele que por aqui vemos mais na feijoada.

Mas você sabia que até o prato que ficou famoso no Brasil pode ser feito com outro tipo de feijão? Pois é, no estreito estado de Pernambuco, no Nordeste brasileiro, o feijão mulatinho é que é o rei da boa e velha feijoada. O Chef  César Santos, nativo do local, faz questão de perpetuar essa tradicional receita por onde passa. Na Semana Mesa SP não foi diferente e César iniciou sua palestra com um vídeo super dinâmico, gostoso de ver e, imaginamos, de saborear.

A feijoada pernambucana, Chef César Santos

A feijoada branca de Pernambuco leva outros ingredientes diferentes, além do feijão mulatinho: são os legumes e temperos de típico uso na região. O quiabo, o maxixe, o jerimum, o alho roxo, o coentro e o cominho (herança moura) entrando na mistura com gosto, agregando ao prato mais sabor e jeito de Nordeste. E foi o que vimos e provamos agora ali, ao vivo.

Repetindo a sequência do vídeo, com o auxílio de algumas boas mãos e vestido com um avental da bandeira de Pernambuco, o Chef César deleitou a todos com boas histórias: desde sobre o costume pernambucano de tomar caldinho de feijão na praia até o aparecimento do grão em contos tradicionais, como em João e o Pé de Feijão.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ao final, o que saiu de toda essa conversa na cozinha foi uma enorme, e já algum tempo cheirosa, feijoada à moda pernambucana. O volume era grande, era possível alimentar toda aquela platéia, mas não seria nada prático servir carnes e legumes, todos cortados em grandes pedaços, em pequenas porções. A solução ambientaria as pessoas ainda mais no clima pernambucano. Foi ao estilo caldinho de feijão na beira da praia que o público foi servido. Também foi aí que abri uma exceção e tomei alguns mililitros da feijoada batida. Só digo uma coisa para terminar e não entrar em discussão: naquela hora, valeu a pena.

 

Para degustar: http://www.oficinadosabor.com/

 

Ana Laura Mosquera

 

Deixe uma resposta